sexta-feira, junho 22, 2012

Beyra Branco 2011

Ainda há gente de coragem. Com esta crise chata e que se agarra à vida, com uma data de produtores com as mãos deitadas à cabeça, Rui Madeira, o homem da VDS e filho do patrão da CARM, atirou-se ao trabalho na Beira Interior, em Vermiosa, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, ali onde ninguém se lembra de investir, em vinho ou em coisa alguma.
.
O projecto designa-se por Beyra, nome da empresa e da marca. O lema é «vinho com altitude», diria vinho com atitude. Se a altura de se jogar ao negócio é arriscada, se o local é improvável, já a qualidade não surpreendente. Porque a região tem, penso eu, características para vinhos de grande qualidade, sobretudo brancos, e com carácter distintivo. Depois há o enólogo, que ninguém duvida da competência.
.
A terra dali é tanto granítica como xistosa e situa-se a uma altitude média de 700 metros. Saem vinhos minerais e frescos. Diferentes e surpreendentes no perfil.
.
Os tintos hão-de vir, agora vão-se fazendo no descanso laborioso das barricas. Já na rua estão três brancos: Beyra, Beyra Quartz e Beyra Superior. Cada um deles terá aqui uma nova, agora fica o entrada de gama.
.
O Beyra é um vinho fácil, mas desafiante. Quem gosta dos vinhos docinhos e saltitantes talvez não o aprecie. Quem gosta da diversidade e aprecia a diferença tem uma boa opção. Fez-se com uvas síria e fonte cal. É um vinho seco e perfumado, delicado. É mineral e cítrico, duas características que valorizo.
.
.
.
Origem: Beira Interior
Produtor: Beyra
Nota: 6/10

2 comentários:

Unknown disse...

João, também achei o projecto e os vinhos muito interessantes. Vamos ver como saem os tintos.

Elias Macovela disse...

João,

Provei no Summer Wine Market e fiquei muito surpreendido com a qualidade e frescura dos vinhos. Como diz o Nuno, vamos ver como saem os tintos.