sexta-feira, novembro 13, 2009

Vietti Barolo Castiglione 2004

Este vinho encantou-me fortemente na primeira vez que o provei, numa apresentação na embaixada de Itália, em Lisboa, a que fui a convite do amigo Miguel Bucellatto. Nessa primeira apreciação apressada fascinaram-me, sobretudo, os taninos e a ameixa que dentro do copo pedia que a bebessem.

.

Bebi-o uma segunda vez em casa do amigo Turco e com o Nasser. Lamento que não tenham gostado tanto deste vinho quanto eu, mas paciência. Cada um tem o seu nariz e sua boca.

.

Este vinho é tão pouco parecido com os portugueses. Tem a personalidade da região donde vem, não faz cedências ao Novo Mundo. Não é um vinho de grande corpanzil, embora a sua fruta seja poderosa. Mas não é magro. Não é estupidamente alcoólico, com o teor a rondar os 12 graus e meio - não me recordo bem, mas sei que anda por aí. É elegante, como um príncipe.

.

No nariz é complexo, mais do que na boca, o que não significa que esta fique aquém. Sentem-se aromas de ameixa, fruta do bosque, onde se levanta a amora, violetas e especiarias. Na boca demonstra belíssimos taninos e uma acidez desafiante. Este vinho, com a idade, irá dar de falar.

.

.

.

Origem: Barolo, Piemonte - Itália

Produtor: Vietti

Nota: 8/10

1 comentário:

Rui Lourenço Pereira disse...

Como eu te compreendo João. Dá-me Vietti todos os dias e não importa qual.