ponto de ordem à mesa

O mundo gira e dá voltas. Teimosamente às voltas. Pensava que o joaoamesa.blogspot.com estava morto ou, pelo menos, em estado de coma. Ou pior, sem qualquer sinal vital, ligado à blogosfera por nostalgia e arquivo. Mal morto, o blogue mantém o endereço, mas muda de título.

segunda-feira, janeiro 14, 2013

Granjó fez 100 anos

A marca de vinhos Grandjó’ nascida na Granja de Alijó e pertença da Real Companhia Velha, celebrou cem anos de existência, sendo por isso a marca de vinhos do Douro mais antiga.
.
De acordo com o comunicado da Real Companhia Velha, embora a marca Grandjó tenha sido registada em 1912, há registos «não oficiais» que indicam que a sua existência é anterior a esta data. «No livro “Vinificação Moderna” (de Pedro Bravo e Duarte Oliveira), que data de 1925, é feita referência ao Grandjó como existente desde 1910. Nesta obra é enfatizado o facto de o aparecimento deste vinho na região de Alijó ter sido uma ideia de grande mérito, pois é uma zona onde se produzem essencialmente vinhos brancos DOC Douro e alguns generosos (Porto e Moscatel). Sendo uma região não vocacionada para tintos (os mais consumidos e vendidos em todo o mundo), torna-se evidente a limitação que esta dependência trás à região. O Grandjó, nomeadamente o late harvest, é portanto um vinho de grande qualidade, nobreza e importância para esta região».

Sem comentários: