quarta-feira, Dezembro 31, 2008

Desejos para 2009

Bem, chegou o momento de dizer adeus a 2008 e olá a 2009. Dizem os políticos e os economistas que o ano que vem vai ser pior que este, que vai ser de crise. Fiquei feliz porque vi, ontem no café, um vidente, com sotaque do Norte e farfalhudo casaco de peles, garantir que 2009 ia ser muito bom. Alegrei-me, porque o programa em causa (o do Manuel Luís Goucha... tão piroso) é sério e digno de nota, pois só convida vígaros e farsantes de primeira. É da praxe fazer-se à meia-noite um brinde (à falta de espumante ou Champanhe via blogue segue apenas a imagem dum cartaz) e devorarem-se doze passas, uma por cada mês do ano, associadas cada uma a um desejo. Porque a minha vida é um livro aberto e porque é tão racional e certo serem atendidos se forem proferidos em segredo ou em público, deixo aqui a minha lista de pedidos para o novo ano.


Desejos do melhor que há
1 - Obter um Aston Martin Preto ou um Jaguar verde escuro
2 - Uma caixa de Petrus
3 - Um abastecimento generoso de Partagas Lusitania ou Cohiba Corona Especial

Desejos tipo miss beldade
4 - A paz no mundo
5 - Fim da fome
6 - Fim das doenças

Desejos sem imaginação
7 - Saúde para familiares e amigos
8 - Sucesso profissional
9 - Sucesso no amor (para o qual fechei a loja, diga-se)

Desejos verdadeiros
10 - Não me chateiem muito
11 - As minhas gatas darem-se ainda melhor
12 - Adormecer menos no sofá frente à televisão


Bem, posto isto... desejo aos amigos, familiares, leitores habituais, simples passantes, afins e eteceteras... um bom 2009

terça-feira, Dezembro 23, 2008

Quanta Terra Colheita Seleccionada 2006

Este tinto foi uma das revelações do ano. Já conhecia o Quanta Terra Reserva, do qual sou vivo apreciador, mas este foi novidade. Mostrou-se cheio de vida e de carácter. Um tinto com aromas de frutos do bosque e lareira. Na boca, muito guloso e prazenteiro.
Este vinho apresenta-se como o topo de gama da casa. Consegue-o. Só não se percebe por que um colheita seleccionada está hierarquicamente acima dum reserva. É que a percepção óbvia é a oposta, fruto da banalização dos chamados colheitas seleccionadas. Seria melhor alterar a designação, trocá-las.


Origem: Douro
Produtor: Quanta Terra
Nota: 8/10

terça-feira, Dezembro 09, 2008

Pó de Poeira 2006 Tinto

Conhecendo o Poeira só se poderia esperar coisa boa do segundo produto. As expectativas estavam altas, mas o vinho provou merecer o nome de família. É um tinto com força, com notável mineralidade, boa madeira e fruta madura sem ser cansativa.
Origem: Douro
Produtor: Jorge Nobre Moreira
Nota: 7/10

sexta-feira, Dezembro 05, 2008

Tempo de festas

Estamos em Dezembro e caminhamos aceleradamente para o Natal, tempo de amizade e fraternidade. No Natal recebem-se presentes. Depois vem o Ano Novo e proferem-se desejos e promessas. Seguidamente vem o Dia de Reis, data que em Espanha significa festa de troca de presentes. Logo uns dias depois é o meu aniversário e é tempo de receber mais umas prendas.
Tudo isto para dizer o quê? Que se podem juntar todos e oferecer um presente que cubra estes quatro eventos. A ideia é uma garrafinha de Château Mouton Rothschild de 1970, que é o ano do meu nascimento. A dita reconhece-se pelo belo rótulo ilustrado por Marc Chagall.


Nota: Afinal, o que são 300 e poucos euros?

quinta-feira, Dezembro 04, 2008

Maritávora Tinto Reserva 2006

Eis um típico do Douro. Um vinho com corpo e intensidade, rico em fruta vermelha e algum fumo. É um vinho bem equilibrado, onde a forte graduação alcoólica é invisível. Sofre forte concorrência dos muitos bons vinhos da região, onde não beneficia de tanta notoriedade. Porém, vale a pena a prova, de preferência com refeição, visto ser muito gastronómico.


Origem: Douro
Produtor: Quinta de Maritávora
Nota: 8/10

Maritávora Branco 2007

Esta é a grande novidade da casa, que lança pela primeira vez um colheita. E o resultado é feliz. É um vinho leve e cítrico, óptimo para o Verão, mas que aguenta bem carnes leves de Outono.


Origem: Douro
Produtor: Quinta de Maritávora
Nota: 6/10

Maritávora Branco Reserva 2007

Para mim este é um dos melhores brancos portugueses, possivelmente um dos top 3. É um vinho inteligente, que desafia o enófilo, com a sua complexidade, mas que seduz e se deixa ir com facilidade. É bem vivo e elegante.
As uvas deste vinho são um segredo involuntário do Douro, provenientes duma vinha muito velha. O solo xistoso é outra componente bem marcante, uma vez que confere grande mineralidade. Mas nele podem encontrar-se ainda notas cítricas. Nota-se ainda uma ligeira madeira, só a marcar presença, que lhe confere um fino fumo.


Origem: Douro
Produtor: Quinta de Maritávora
Nota: 9/10

quarta-feira, Dezembro 03, 2008

Lima Mayer Petit Verdot 2006

Conheci este vinho ainda jovem, inacabado, e prometia. Provei-o hoje e confirmaram-se as promessas então esboçadas. Apresenta alguma austeridade de aroma de início, que depois se desenvolve em ameixa preta e trufas. É um vinho que preenche muito a boca, com bons taninos redondos.

Origem: Regional Alentejano
Produtor: Lima Mayer
Nota: 8/10

Declaração de interesses: Durante cerca de um ano fiz consultoria mediática a este produtor, não tendo, desde Junho deste ano, qualquer outra ligação com a Lift, empresa onde trabalhei e através da qual assessorei a firma Lima Mayer.